sábado, 30 de abril de 2016

Não Contamine O Seu Entretenimento!



Não há como negar que, hoje em dia, a internet faz parte da vida da grande maioria da população mundial, e, como faço parte desse grupo, costumo navegar pela rede para verificar emails, acessar as redes sociais, ler inúmeros artigos, notícias, etc. Ontem, pela manhã, me deparei com uma notícia curiosa, que promete causar alegria a todos os saudosistas de plantão. Li sobre uma iniciativa de “ressuscitar” um dos brinquedos que invadiu o mercado mundial nos anos 90, o famoso “Tamagotchi”. 
Quem é que não se lembra daquele bichinho virtual que “morava” num chaveirinho?! Estamos falando de um carinha chamado “Tamagotchi”. Ele foi precursor de todos os bichinhos de estimação virtuais que hoje invadem os sistemas Android e iOS, dos smartphones e tablets. O objetivo de se possuir um chaveirinho do Tamagotchi, como acontece atualmente com todos os bichinhos virtuais, era cuidar bem dele, e, isso consistia em dar comida, colocá-lo pra dormir e outras funções. 
Pois bem, como eu mencionei, me deparei com uma notícia da internet que dizia assim: “Tamagotchi, sucesso dos anos 90, está de volta em aplicativo.” Ao abrir o link da notícia, pude navegar pela página de download do aplicativo, que tem por nome “Cthulhu Virtual Pet”. Li vários textos e especificações sobre o mesmo, mas, confesso que algo me chamou muito a atenção... Refiro-me a esta frase: “Cthulhu (ou Cthulu) é uma espécie de Tamagotchi da nova geração para Android e iOS.” 
Antes de me converter ao Evangelho de Jesus Cristo, fui um grande admirador de uma banda de Heavy Metal batizada de “Metallica”, e, uma de suas canções se chama “The call of Cthulu” ("O chamado de Cthulu"). Esse nome me deixou curioso e me motivou a saber um pouco mais sobre esse tal Cthulu! Com certeza, trarei ao seu conhecimento algo sobre quem é esse personagem, porém, primeiramente, deixe que eu transcreva um dos parágrafos da página de downloads do aplicativo, acessada por mim: 
“Quem teve um Tamagotchi, vai reconhecê-lo em Cthulu. O monstrinho, apesar de devorar seus seguidores, é bastante simpático e precisa de sua ajuda para ficar vivo como um deus virtual. Assim como no sucesso dos anos 90, o jogador precisa alimentar, limpar e brincar com ele para ganhar mais pontos e ir sobrevivendo no game.” 
Monstrinho que devora seus seguidores? Um deus virtual? Estranho, não?! Antes de qualquer coisa, não estou aqui me posicionando contra os bichinhos que você tem em seu smartphone, ou, tablet, como gatinhos, cachorrinhos e, assim por diante, então, continue se divertindo com eles. Meu objetivo é apenas mostrá-lo que Cthulu não é um ser normal, ou, um simples bichinho. E, quem, ou, o que seria esse tal “Cthulu”?! 
Confesso que já tinha pesquisado um pouco sobre a música supracitada, e, na época da pesquisa, me tinha me convencido de que “não era boa coisa”. Depois de ler sobre o aplicativo, decidi fazer uma pesquisa mais elaborada. Leia esse texto que extraí de uma página virtual e tire as suas conclusões: 
“O que é o Monstro Cthulhu? (o mesmo que Cthulu)
Essa criatura horripilante surgiu em O Chamado de Cthulhu, um conto do norte-americano H.P. Lovecraft publicado em 1928 que logo se tornou um clássico do terror. Ela é uma entidade cósmica maligna, adorada por uma seita milenar que busca trazê-la de volta ao nosso plano astral - o que desencadearia o apocalipse.
Cthulhu é descrito como uma mistura de gigante, polvo e dragão, com uma cabeça cheia de tentáculos, corpo borrachudo e escamoso, asas de morcego e garras nas mãos e nos pés. Segundo Lovecraft, ele representa um mal tão ancestral e terrível que vislumbrá-lo levaria qualquer humano às raias da insanidade. Cthulhu se comunicava com os humanos telepaticamente, e levava-os a templos e locais antigos.
No Chamado de Cthulhu, esse ser se esconde em R’lyeh, uma cidade submersa no Pacífico Sul. Embora secreta, sua presença causa uma ansiedade e um terror indefinido no inconsciente coletivo da humanidade. Os únicos que sabem de sua existência são uma seita que tenta despertá-lo com o cântico "Ph’nglui mglw’nafh Cthulhu R’lyeh wgah’nagl fhtagn!" 
Não preciso acrescentar mais nada, pois, a descrição já é suficiente para você perceber que tratá-se de um ser literalmente maligno! Sei que muitos, ao lerem essa postagem, poderão achar que estou exagerando por se tratar apenas de uma criatura fictícia, criada por um escritor no início do século, mas, de onde será que veio a inspiração para a concepção desse personagem?! Na minha humilde opinião, houve sim uma inspiração oculta para a sua composição. 
Para finalizar, deixo uma pergunta... Vale a pena ter uma figura tão obscura e maligna (apesar dos desenhistas e designers do aplicativo se esforçarem para deixá-lo inofensivo e bonitinho) em seu smatphone ou tablet? 
Que aprendamos a vigiar constantemente, pois, o ocultismo e as malignidades tem tentado contaminar o nosso dia a dia também em objetos que a tecnologia tem nos proporcionado! Que o Espírito Santo nos ajude a abrir os nossos olhos para vermos além das aparências físicas! 
Que Deus abençoe a todos

Veja abaixo uma imagem que ilustra o Monstro Cthulu:








quinta-feira, 28 de abril de 2016

Somos Vasos De Barro Nas Mãos Do Senhor!

 


"Desci, pois, a casa do oleiro, e eis que ele estava ocupado com a sua obra sobre as rodas. Como o vaso que ele fazia de barro, se estragou na mão do oleiro, tornou a fazer dele outro vaso, conforme pareceu bem aos seus olhos fazer." (Jeremias 18.3-4)
Definição de Vaso - É um utensílio côncavo que pode conter líquidos ou sólidos. É um objeto de grande utilidade numa casa. No sentido espiritual, o vaso passou a ser o símbolo da pessoa que Deus usa em sua obra.
Vejamos algumas referências bíblicas onde percebemos alguns tipos de vasos: 
Atos 9.15 - Paulo é chamado por Deus de vaso escolhido. 
Salmos 31.12 - Davi se sente como um vaso quebrado. 
Isaías 66.20 - O profeta fala de vasos puros na casa do Senhor. 
Romanos 9.21 - A Bíblia diz que existem vasos de honra e vasos de desonra.
E você, é um vaso de honra ou desonra? Devemos ser vasos de honra na casa de Deus, darmos um bom testemunho, um bom exemplo: Tito 2.7 e 8 - “Em tudo te dá por exemplo de boas obras; na doutrina mostra integridade, sobriedade, linguagem sã e irrepreensível, para que o adversário se confunda, não tendo nenhum mal que dizer de nós.”
Outra coisa que percebemos na Palavra de Deus é que um vaso pode ser feito de vários materiais e, cada um dos mesmos tem características específicas: 2 Timóteo 2.20a  - “Ora, numa grande casa não somente há vasos de ouro e de prata, mas também de madeira e de barro.”
De que material você feito? Sabemos que alguns materiais citados são atraentes,  belos, mas Deus não usa materiais que chamam a atenção pela beleza e sim, materiais simples, porém, resistentes.
De acordo com os materiais citados acima, vamos analisá-los separadamente:
Vasos de ouro e prata - Chamam atenção por sua beleza, seu brilho próprio, mas se amassam facilmente com pancadas e não resistem a temperaturas elevadas.
Vasos de madeira - Não suportam fogo, quando entram em contato com  a água por muito tempo incham e se racham, tornando-se inúteis.
Vasos de barro - Não são muito belos, no entanto conservam a temperatura de seu conteúdo e, se racharem podem ser restaurados.
Percebeu a diferença? A simplicidade supera a beleza, a vaidade. Deus aprecia a humildade.
Prosseguindo com o nosso comentário, podemos citar as 5 fases de um vaso, processos nos quais precisamos passar para que, no final, sejamos usados por Deus.
Fase - A fase da escolha:
João 15.16 - “não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça.”
Deus escolhe sempre o melhor barro! Existem 200 tipos de barro, porém, somente 8 tipos servem para fazer um vaso ou um jarro. Se você foi escolhido por Deus, isso significa que você é um barro diferenciado.
Ser um bom barro é ser alguém que Deus pode contar para que a sua obra seja feita continuamente, independente das circunstâncias. 1 Coríntios 15.58 - “Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o nosso trabalho não é vão no Senhor.”
Fase - A fase do curtimento:
É uma das fases mais importantes, pois, para a massa do vaso ficar no ponto certo depende de seu tempo de curtimento, quanto maior é o tempo de curtimento, maior é a resistência do vaso. Não adianta mudar o processo de curtimento, a massa tem um tempo certo de descanso e, tentar realizar a modelagem sem que a mesma cumpra esse período não dará certo!
O nosso curtimento também é mencionado em Eclesiastes 3.1 - “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do céu.”
Há um propósito para cada um de nós, mesmo que demore dias, meses, anos, enfim, não importa o tempo, Deus fará com ele se cumpra!

Fase - A fase do pisamento: 
É quando o barro é tirado do curtimento, talvez depois de muito tempo, e colocado em um local para ser pisado, para que todo ar seja retirado.
Deus permite que sejamos pisados para que todo orgulho e vaidade sejam tirados de nós e, para reconhecermos de uma vez por todas que somos completamente dependentes dele.
esse é um estágio onde parece que todos te acusam, falam mal de você, não te entendem, te julgam, etc...
Ser pisado também significa ser refinado por Deus. Salmos 66.10-12 - “Pois tu, ó Deus, nos tens provado; tens nos refinado como se refina a prata. Fizeste-nos entrar no laço; pesada carga puseste sobre os nossos ombros. Fizeste com que os homens cavalgassem sobre as nossas cabeças; passamos pelo fogo e pela água, mas nos trouxeste a um lugar de abundância.”

Fase - a fase da mistura:
Nessa fase o vaso precisa ser misturado com a palha fina, pedra triturada e restos de cerâmica. Um vaso sem esses implementos é um vaso fraco, se quebrará com facilidade.
Deus quer misturar elementos a sua natureza para fazer de ti um vaso forte, resistente a pressões. Ele deseja misturar o seu barro com unção, humildade, disposição, perseverança, fé. Ele não quer que você seja como um vaso de porcelana, que só pode ser usado de vez em quando, porque pode se quebrar!
Fase - A fase do molde:
É nessa fase que o barro vira vaso, ele é moldado pelo oleiro e este o molde do jeito que ele quer, cuidadosamente.
Quando finalmente somos moldados por Deus e nos tornamos vasos perfeitos para o uso, então, Deus começa nos encher com:
Água - Que simboliza a Palavra de Deus revelada.
Azeite - Que simboliza a unção do Espírito Santo sobre nós.
Vinho - Que simboliza a alegria do Espírito Santo dentro de nós. Não um vinho escarnecedor, que gera contendas. O vinho é um dos símbolos do Espírito Santo.
É certo que Deus deseja nos encher, mas, para que Ele faça isso, precisamos atender aos seguintes princípios:
Precisamos estar limpos - Ninguém pode encher um vaso sujo, devemos fazer uma limpeza em nosso interior, retirar toda sujeira, pecado, mágoas, etc...
Precisamos estar vazios - Como podemos encher um recepiente que já está ocupado com algo em seu interior? Devemos nos esvaziar de nossas vontades, nossos conceitos, de nosso eu!
Precisamos estar sempre ao alcance de Deus - Quantas vezes procuramos um recipiente para guardar algo e apanhamos o primeiro que encontramos disponível na prateleira? Esteja sempre disponível para que Deus te encha e te use.
Procure estar sempre em comunhão com Deus, pois, Ele deseja realizar grandes coisas através de ti!!! 
Que Deus abençoe a todos! 



segunda-feira, 18 de abril de 2016

Não Brinque Com A Morte!


Há alguns dias, fui verificar o meu e-mail, e, me deparei com a seguinte notícia na página principal do site: "Cantora é picada por cobra durante show e morre no palco". Fui ler o texto na íntegra e constatei que a manipulação do réptil, em seu show, já ocorria há tempos... 
Mas, chegou o dia em que algo "deu errado" em sua performance! Por instantes, expandi um pouco os meus pensamentos e foquei numa coisa... Ela flertava com a morte a cada apresentação, pois, se tratando de um animal venenoso, este poderia picá-la a qualquer momento e fazer com a sua vida se esvaísse, como acabou acontecendo.
Quantas vezes o homem tem "brincado" com a morte... Muitos desafiam a morte todos os dias, para obter uma dose extra de adrenalina, ou, simplesmente para superar certos limites. Outros fazem com que o óbito seja injetado todos os dias em suas veias, em pequenas doses, até ser consumado! O fato é que, certos desafios parecem mesmo dominar o homem, a ponto de fazer com que ele se torne inconsequente, imprudente, etc.
Devemos ser sempre sóbrios, pois, um único descuido, ou, a repetição de ações nocivas, poderão abreviar a nossa existência!
Que Deus nos ajude a escolhermos sempre o Caminho correto, que Ele guie os nossos passos e nos preserve de todas as armadilhas produzidas por nossa natureza humana, pecaminosa e destrutiva.
Que Deus abençoe a todos!


terça-feira, 8 de março de 2016

Não Se Importe Com As Circunstâncias!


Precisamos aprender a não nos importarmos com as circunstâncias, mas sim, com o que Deus pode fazer! É necessário entendermos, verdadeiramente, que não há limites para o Poder de Deus!
Um dia, um homem estava diante de uma imensa muralha, que circundava uma grande cidade, a maior de todas as muralhas de sua época, para muitos era uma construção indestrutível... Deus fez essa muralha cair!
Outro dia, um homem foi lançado na cova de leões famintos, leões altamente temidos por todos aqueles que sabiam de sua existência e histórico... Deus lacrou a boca daqueles leões e os tornou inofensivos naquele instante!
Em outro momento, um homem aceitara o desafio de lutar contra um gigante que, só por sua estatura física já fazia os adversários ficarem desestabilizados, e, ainda tinha um grande currículo de vitórias em seus combates. Era um gigante invencível... Deus fez com que o gigante caísse e, após isso, que tivesse a sua vida ceifada!
Certa vez, um homem estava diante de um imenso e profundo mar, completamente ameaçado e encurralado perante um forte exército que pretendia exterminar, não só ele, mas, toda a sua parentela e o seu povo... Deus fez o mar se abrir e os livrou das mãos de seus inimigos!
Numa outra ocasião, um homem estava morto há quatro dias numa sepultura, já se decompondo e exalando um cheiro desagradável... Deus permitiu que esse homem se despedisse de sua morte e se reencontrasse com a vida!
Depois de refrescar a sua memória, pois, você já leu, ou, ouviu todos esses fatos narrados pela Bíblia, deixo aqui algumas perguntas...
“Qual é mesmo o seu problema?”, “Você tem fé para acreditar que Deus pode mudar as circunstâncias mais duras?”, “Haveria alguma coisa impossível para Deus?”, “Operando Ele, quem será capaz de impedi-Lo?”...
Não importa a situação, Ele é Poderoso para fazer muito mais do que aquilo que pedimos, ou, pensamos. Ele é Deus e nada é capaz de frustrar os Seus planos! Basta uma palavra liberada por Ele e tudo aquilo que é caos se converte em Paz, em vitória, em vida! Creia Nele, espere Nele, viva Nele!
Que Deus abençoe a todos!



sábado, 19 de setembro de 2015

Os Dez Mandamentos... Bom Refletir!


Ontem, enquanto eu assistia a produção “Os Dez Mandamentos”, da Rede Record, pude ser despertado para refletir sobre situações que tem feito parte da muitas igrejas nos dias de hoje.
Para aqueles que tem acompanhado o desenrolar da história, estamos na fase onde Deus já liberou algumas pragas sobre o Egito, e, onde Moisés foi surpreendido tendo o seu cajado furtado e, logo em seguida, descobre que o seu instrumento se encontra em poder do Faraó. Então, indo mais uma vez ao palácio, Moisés entra na sala do trono do Rei do Egito para deixar um recado da parte de Deus ao Faraó, e, ao sair da sala do trono, diz a seguinte frase: “Quanto ao cajado, pode ficar com ele, pois, Deus não precisa do cajado para operar os Seus milagres!”
É sobre isso que quero falar... Que tipo de Evangelho estamos vivendo nos dias de hoje?! Um Evangelho onde, para determinadas igrejas, acredita-se, tolamente, ser necessário usar “cajados modernos” para realizar prodígios da parte de Deus?! A invasão desses “cajados” é nítida em vários cultos e reuniões... São toalhas, sal, água “da terra santa”, fronhas, meias, lenços, martelos, colheres de pedreiro, cruzes, rosas, e, por aí, vai longe! O “repertório” é extremamente vasto! Posso estar sendo muito crítico, mas, a verdade é que algumas práticas usadas em alguns cultos tem se parecido com certas práticas pagãs, usadas em determinadas religiões (em respeito, prefiro não revelar quais são essas religiões). A coisa é séria demais! O sincretismo religioso é gritante!
Concordo com a fala usada pelo ator que interpreta Moisés, Deus não precisa mesmo de cajados, ou, qualquer outro objeto que tente usurpar o Poder que emana só Dele! Não preciso tocar, beber, comer, enfim, não preciso estar em contato com nada que não seja a Sua Presença para experimentar os Seus milagres sobre a minha vida!
Um cajado, quando era portado por um homem de Deus, sempre estava associado a autoridade, e, nunca associado ao curandeirismo, ou, a operação de maravilhas e outros!
Que Deus abençoe a todos!


 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...